"Girl From Rio": Anitta Dá Repaginada Em Clássico Sem Cair No Clichê

“Garota de Ipanema” é uma das músicas mais famosas do mundo inteiro, composta em 1962 por Tom Jobim e Vinícius de Moraes, a canção se tornou um emblema da Bossa Nova e só perde em números de regravações para “Yesterday” dos Beatles. Não é novidade que essa é a melodia mais famosa do Brasil, retratando para o mundo como o Rio de Janeiro é um dos lugares mais encantadores que existem, repleto de garotas lindas, cheias de graça e que caminham com um doce balanço a caminho do mar. 

E foi exatamente isso que a Anitta mostrou no seu novo single, porém, com um toque a mais. Em “Girl From Rio”, nome que também será dado ao seu novo álbum de estúdio, que segundo a cantora será lançado em meados do outono nos Estados Unidos, ou seja, entre setembro a dezembro no Brasil, ela nos mostra como existem diferentes tipos de mulheres na Cidade Maravilhosa. Mulheres que, como ela mesma descreve ao sample (são basicamente trechos sonoros retirados de obras musicais ou de outras gravações) da própria “Garota de Ipanema”, não parecem modelos, possuem marcas de bronzeado e grandes curvas.

Além de expor diferentes brasileiras e personalidades, Anitta também faz uma espécie de autobiografia, falando do lugar onde cresceu (Honório Gurgel), sobre seu mais novo irmão, no qual a família descobriu ser do mesmo pai mas de uma mãe diferente e também sobre seus muitos romances, que ela própria ironiza na letra se descrevendo como uma pessoa com personalidade difícil. “Girl From Rio” é uma maneira que a cantora utiliza para mostrar ao mundo parte da verdadeira realidade do Rio De Janeiro que os brasileiros veem diariamente, revelando que existem muitas outras belezas da cidade que aquela famosa canção de 1962 não revelou na época.

Falando sobre o videoclipe, ficou explícito o quanto a Anitta é uma das maiores cantoras do Brasil e do mundo. Ela e seu time de produção conseguiram transitar de forma lúdica e encantadora entre os anos 60 e o presente tempo, deixando claro a dualidade de personalidades em um clima leve retrô versus a real garota carioca, conseguindo mostrar cenários e roupas características de cada época. Muitas referências foram usadas nesse clipe, em especial uma muito curiosa: a série Ratched, no qual a paleta de cores, a ambientação, os figurinos e maquiagem foram uma grande alusão para recriar o Rio da “Época de Ouro”.

Importante ressaltar que quem assinou a direção do projeto criativo foi Giovanni Bianco, artista que criou campanhas publicitárias para Miu Miu, Versace, Dolce & Gabbana, contribuições editoriais para a V Magazine e produziu grandes artistas como Madonna, com capas de álbuns e turnês globais. Ele também foi responsável pela direção de seu álbum BANG, de 2015, que também possui muitas referências retrôs. 

Um dos fatos interessantes é que 7 dias antes da estreia oficial do clipe, a artista liberou fotos teaser para aguçar a curiosidade de seus fãs e preencher o feed com o novo tom da música. Tons pastéis, roupas com cortes antigos, penteados esculturais fazem desta uma bela fase da cantora. Vale destacar que a própria fez uma divulgação gigante em seu Instagram, onde ela publicou várias imagens de mulheres cariocas excepcionais, narrando - em inglês - a importância de cada uma de um jeito único e que ressalta o poder feminino e mostra a pluralidade da cidade.

Falando ainda sobre o videoclipe, é interessante analisar os mínimos detalhes que ele oferece, a começar com a transição do antigo para o novo, no qual Anitta chega em uma localidade muito famosa no Rio, o Piscinão de Ramos. O mais bacana é que essa cena em que ela chega de ônibus faz uma alusão direto a um episódio muito famoso exibido em 1989 pela TV Manchete chamado “Pobres vão à praia", sendo possivelmente uma crítica juntamente com uma paródia feita para destacar que pobres vão à praia SIM. 

É legal citar também que uma das imagens promocionais divulgadas foi justamente da cantora em frente ao ônibus que tinha como destino o Piscinão, essa foto inclusive foi muito recriada por diversas personalidades. Prosseguindo, quando ela chega, é possível ver cenas que boa parte dos brasileiros conseguem identificar: muita gente se divertindo, algumas discussões, um bom churrasco na areia com direito a pratinho descartável e diferentes mulheres se bronzeando de maneiras criativas e tipicamente brasileiras.

A cantora, como já foi dito anteriormente, também faz questão de mostrar momentos pessoais de sua vida e é muito interessante ver imagens que remontam aos diferentes momentos de sua carreira, citando justamente o Piscinão de Ramos, lugar onde ela fez um show que marcou muito sua carreira na virada do ano de 2012. É bonito ver como ela não tem vergonha e se orgulha de mostrar os lugares que lhe proporcionaram tantas experiências quando ela ainda era anônima.

Por fim, vale trazer uma citação da própria Anitta que ela deu em uma coletiva de imprensa que basicamente descreve todo o projeto: "Existem várias realidades no Rio de Janeiro. Hoje em dia, sou uma pessoa que tem acesso ao Rio de Janeiro inteiro. Porém antes, quando nasci, na minha infância e adolescência, não tinha acesso e não conhecia a Zona Sul. Muitas coisas sobre o Rio de Janeiro são diferentes na minha visão e na das outras pessoas”. E ainda completou “Essa é uma música muito pessoal porque fala sobre a minha família, o lugar de onde vim, onde cresci, as pessoas que vi e vejo todos os dias. É meu ponto de vista sobre a mulher em geral e a beleza que vejo nas mulheres."

-------------------------------------------------------

The article above was edited by Angela C. A. Caritá.

Liked this type of content? Check Her Campus Casper Libero home page for more!