Her Campus Logo Her Campus Logo
Mental Health

Transtorno Disfórico Pré-menstrual (TDPM): Conheça A “Super” TPM Que Pode Levar Ao Psiquiatra

Quando se trata de ciclo menstrual, é comum ouvirmos falar sobre a famosa tensão pré-menstrual (TPM). No entanto, há pessoas que sentem os efeitos desse período de forma grave e intensa, chegando a prejudicar sua vida social. Denominada TDPM, no qual o “d” traz uma grande diferença, referindo-se ao “disfórico”, o Transtorno Disfórico Pré-menstrual causa uma série de sintomas físicos, cognitivos e psicológicos relacionados à oscilação hormonal.

A TDPM é a forma grave da TPM, sendo definida como um tipo de depressão clínica, que surge todos os meses no período que antecede a menstruação. É classificada como transtorno depressivo e atinge cerca de 3 a 8% das mulheres, causando alterações de humor e comportamento drásticos e incapacitantes. “A paciente fica tão alterada que às vezes precisa ser afastada do trabalho”, conta a ginecologista e obstetra Maria Rosa Nicolas Olmos. Sua causa, explica Maria Rosa, está relacionada à produção de dois hormônios reprodutivos femininos: o estrógeno e progesterona, que oscilam durante o ciclo menstrual. Essas variações podem afetar os níveis de neurotransmissores, substâncias químicas responsáveis por regular o humor, principalmente a serotonina. Devido a isso, a médica aponta como principal queixa das pacientes a alteração de humor.

Segundo a médica, antigamente a mulher não estava no mercado de trabalho e neste período ela era poupada, julgada e minimizada. Hoje, conquistamos espaços e funções no dia-a-dia, através da presença feminina no mercado de trabalho, mostrando que as mulheres são capazes de exercer funções que antes eram só dos homens, e isso gera um estresse importante, no qual pode ser acentuado no período pré-menstrual.

O diagnóstico é feito pela própria paciente. “Eu tive uma paciente que ocupava um cargo importante e um dia abriu sua agenda, pedindo para a secretária marcar uma reunião importante em um dia em que estivesse livre, mas a secretária lhe disse que naquela semana não poderiam ter reuniões importantes porque ela, a chefe, estaria perto de menstruar! Tive outra paciente que as filhas vieram me pedir para cuidar da mãe, porque ela ficava insuportável antes de menstruar”, relata a médica.

“Eu me tornei uma pessoa muito difícil de conviver, estava estragando todas as minhas relações (família, amigos, namorado, etc). Minha saúde mental também ficava completamente abalada.” O depoimento é de Giovanna Pascucci, estudante de Relações Públicas, que começou a suspeitar de sua TPM, pois toda vez que sua menstruação estava por vir era um enorme sofrimento. “Eu sentia meu corpo e minha mente adoecendo e vi que isso era completamente diferente da TPM das minhas amigas”, declara.

Desta forma, para ser feito o diagnóstico é importante ter conhecimento dos sintomas prevalentes da TDPM. Entre eles estão: dores locais e nas mamas, lombalgia ou dor pélvica, excesso de sono ou sonolência, labilidade emocional, compulsão alimentar (principalmente por doce) e ganho de peso. Já o tratamento é baseado em medicamentos e mudanças de estilo de vida, como: exercício físicos aeróbicos, dormir de 7 a 8 horas, alimentação equilibrada e outros hábitos saudáveis. Também pode-se suspender a menstruação com uso do anticoncepcional contínuo ou DIU hormonal, além da possibilidade de entrar com ansiolítico ou antidepressivos.

Apesar de atingir uma parcela específica das mulheres na sociedade, justamente por ser um assunto não muito tratado, é possível que haja um desconhecimento sobre a TDPM. No entanto, o Transtorno Disfórico Pré-menstrual não é algo que se possa simplesmente lidar no período e precisa ser tratado, uma vez que afeta de maneira incisiva a vida da mulher, comprometendo seu humor, cotidiano, disposição e bem estar.

Hi, I’m Analuá Baptista, 19 years old. Currently, I am studying Communication and Journalism.
Similar Reads👯‍♀️