As Personagens Femininas Mais Poderosas da Ficção

Existem muitas personagens femininas poderosas dentro da história do cinema, da TV e da literatura. Quem nunca saiu da sala do cinema impressionada com as habilidades da Mulher Maravilha ou com a inteligência da Hermione?  A seguir, conheça algumas das maiores e mais marcantes personagens femininas da ficção, sem ordem específica:

Hermione Granger, de Harry Potter

“É leviosA, não leviosAR!”

Hermione Granger é uma das personagens mais queridas da ficção. Todos sabem que ela é a bruxinha mais inteligente da sua idade. No início ela pode parecer uma insuportável sabe-tudo, mas no fim sempre acaba salvando seus amigos com sua esperteza e compaixão. Nunca poupa esforços para salvar aqueles ama, Hermione será para sempre lembrada como uma mulher forte e inteligente, além de ser a única pessoa que já leu Hogwarts: Uma História !

Cristina Yang, de Grey’s Anatomy

“Oh, dane-se a beleza. Eu sou brilhante. Se você quer me agradar, elogie meu cérebro.”

Yang é uma cirurgiã cardíaca. Autoconfiança e determinação são palavras que descrevem sua personalidade. Do tipo de pessoa firme e decidida –quando Yang deseja algo, faz de tudo para atingir seu objetivo. Forte e inspiradora, Cristina reina nos corredores do hospital Seattle Grace.   

Princesa Merida, de Valente

“Eu quero ser livre.”

Merida não é uma clássica princesa da Disney, ela é VALENTE ! Apesar do trocadilho (sorry!), de fato, ela é diferente das princesas tradicionais, começando com a sua cabeleira enrolada e rebelde e o seu talento com arco e flecha. Com uma personalidade desbravadora e guerreira, ela luta contra os padrões impostos pelo reino e recusa a se casar por obrigação.

Katniss Everdeen, de Jogos Vorazes

Ela é a Garota em Chamas, poxa! Precisa de mais explicações?  Quem não se arrepiou na cena em que ela se voluntaria para participar dos jogos no lugar de sua irmãzinha? Katniss é o símbolo de força e inspiração, um verdadeiro tordo de esperança e revoução para o seu povo. A todo o momento ela luta contra a opressão do governo de seu país e tenta salvar aqueles que ela ama. 

Mulher Maravilha, da DC Comics

A Mulher Maravilha é umas das primeiras personagens que você pensa quando fala em poder feminino? Se sim, você está certíssima! De fato, ela foi a primeira heroína a ser criada pela DC Comics, usando sempre os seus poderes para manter a paz. 

Daenerys Targaryen, de Game Of Thrones

Mãe de dragões (sente o poder!) e uma das personagens mais fortes da série, Daenerys é bondosa e uma verdadeira líder que luta pelo bem de seu povo, mas a lição mais valiosa que você pode obter dessa personagem é não ceder a pressões masculinas. #ficadica

Viúva Negra, de Os Vingadores

Ela é simplesmente a ÚNICA mulher na equipe atual dos Vingadores (BUM!). Com suas habilidades, inteligência e artes marciais, Natasha mostrou que não é apenas o rostinho bonito da equipe e dá um show nos vilões.

Peggy Carter, de Marvel’s Agent Carter

“Eu sei meu valor.”

Quem se lembra dela em “Capitão América – Primeiro Vingador”? Pois é ... Peggy Carter é muito mais do que o interesse amoroso do Capitão América. Em sua série de TV, vemos que Carter não leva desaforo para casa e faz valer sua opinião. Uma protagonista forte, carismática e inteligente. Não deixa de acreditar em seus valores e na força feminina, mesmo em um universo amplamente dominado por homens (período de guerra).

Annalise Keating, de How To Get Away With Murder

“Eu sou quem eu sou. Se você não gostar, eu não me importo.”

Annalise é daquelas personagens intensas, sem escrúpulos, ambiciosa e super persuasiva ( vamos combinar – é até um pouquinho assustadora!). Professora de Direito, a personagem de Viola Davis sempre consegue o que quer, motivando e desafiando seus alunos todos os dias.

Olivia Pope, de Scandal

A protagonista do horário nobre da ABC, interpretada pela talentosa Kerry Washington, é empoderada e consegue driblar homens de caráter duvidoso. É dona do próprio nariz e prova que lugar de mulher é onde ela quiser – inclusive na política, na mídia e em altos cargos da sociedade.

Meredith Grey, de Grey’s Anatomy

Interpretada por longos 13 anos pela maravilhosa Ellen Pompeo, Meredith é a prova viva de uma sobrevivente. Quem conhece ou já ouviu falar do consagrado drama de Shonda Rhimes, sabe das tragédias vividas pelos personagens. Desde à infância difícil a ter de criar os filhos sozinha após a perda do marido em um trágico acidente de carro, a protagonista é eventualmente exposta a situações complexas e muitas vezes de vida ou morte. Contra todas as possibilidades, Meredith é uma das personagens mais fortes e poderosas da ficção, uma cirurgiã incrível e competente, uma amiga para todos os momentos e uma mãe presente e dedicada. 

Sarah, Beth, Cosima, Alison, Helena..., de Orphan Black

Têm em comum a brilhante e singular interpretação da incrível Tatiana Maslany, que faz mais de 10 personagens na série, todos eles com trejeitos, sotaques e características diferentes. Sarah com sua força e capacidade de sobrevivência sem igual. Cosima é uma cientista genial. Beth é uma policial destemida. Alison, atrás da aparência de dona de casa, é dona de si, independente e uma das personagens mais surpreendentes da série. Helena é intimidadora, não tem medo de nada e é adoravelmente devota às suas ‘’sestras’’.  

Rainha Elizabeth, de The Crown

Teve que assumir o trono da Coroa Britânica muito jovem, após o repentino falecimento de seu pai, Rei George VI. Apesar do papel desafiador, a protagonista, que parece frágil e ingênua perante a grande esmagadora presença masculina do parlamento, demonstra-se ao longo do tempo apta para o posto de Rainha. Interpretada por Claire Fox, Elizabeth rouba a cena ao se manter firme nas difíceis decisões que deve tomar. 

Elsa, de Frozen

Para fechar com chave de ouro não podemos nos esquecer da nossa Rainha de Arendelle ... ELSA. A nova estrela da Disney que mostrou para tantas garotas que independência, força e amor de irmã superam tudo. Elsa é a rainha-que-não-precisa-de-príncipe e com seus poderes congelantes deu a volta por cima, jogou sua trança e cantou Let It Go para o mundo ouvir.

Edição: Marcela Schiavon