Embarque e Desembarque: Como Ganhar Dinheiro Viajando?

A premissa básica para quem quer ganhar dinheiro viajando é saber que vai estar sempre de passagem por um lugar. A jornalista Andréa D’Amato  é prova de que viajar a lazer é uma delícia, mas fazê-lo trabalhando pode não ser, já que o prazer acaba virando profissão.

Myanmar. Foto de Andréa D'Amato

Embarcando

Ao viajar, a cultura e os hábitos são outros, “por isso, o mínimo que você pode fazer é ter essa consciência: o de fora vai ser sempre você, que deve respeitar os locais”, relata Andréa. Não muito vaidosa, sorri ao falar, ri a cada 5 palavras e acredita que todos nascemos com gosto por viagens. Aos 18 anos, no 1º ano da faculdade na Universidade Anhembi Morumbi, ganhou uma viagem de seu pai para o Pantanal. Não sabia que a câmera poderia trocar de objetiva, não tinha ideia sobre como colocar filme na máquina, nada. Lá, encantou-se pelo ofício ao ver um homem fotografando um tuiuiú. Quando desembarcou, fez um curso de fotografia e o seu primeiro emprego foi em um laboratório fotográfico, como assistente. Desde então, afirma, “a fotografia é tudo para mim, vejo por meio da fotografia”.

O mercado cresce, mas os desafios aumentam. Andréa já começou conhecendo muitos lugares novos e ganhando um salário. Foi estagiária, ainda na faculdade, do fotógrafo Araquém Alcântara, viajando pelo Brasil para tirar fotos da natureza (ele, além de professor e editor, é considerado um dos precursores desse tipo de fotografia no Brasil). Ela nunca trabalhou em nada que não envolvesse fotografia (hoje, leciona a disciplina de fotografia em cursos de graduação em Comunicação Social, pois sente dificuldade em continuar ganhando dinheiro só com viagens). Com Araquém, aprendeu o básico e se apaixonou ainda mais por fotografar.

Galápagos. Foto de Andréa D'Amato

Pesquisas

A área da comunicação é ampla. Hoje, cresce a demanda por informações detalhadas e roteiros bem feitos sobre viagem, ainda mais se forem multimídias e contarem detalhes e curiosidades de cada lugar. Anualmente, o Ministério do Turismo realiza a “Sondagem do Consumidor – Intenção de Viagem”. Com base nos dados coletados, cria-se a Sondagem de Expectativas do Consumidor, do Instituto Brasileiro de Economia, da Fundação Getúlio Vargas (embasado em uma mostra mensal de mais de 2000 domicílios de Belo Horizonte, Brasília, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo). Em 2017, concluiu-se que a intenção de viajar dos brasileiros cresceu 3% em um ano, fato que demonstra a abertura do mercado de trabalho para quem quer escrever sobre viagem e lucrar com isso. Em uma pesquisa realizada pelo Ministério do Turismo entre 2016 e 2017, nosso país ganha 661 milhões de dólares por meio do turismo (vindo de brasileiros e estrangeiros). Em 2015, mais da metade dos estrangeiros buscam o Brasil para o lazer e quem vem de fora, em  95,4% das vezes, não importa a idade, volta. Os números de abril de 2017 revelam que, em grandes cidades brasileiras, aumenta a intenção dos brasileiros de viajar num horizonte de 6 meses.

 Etiópia. Foto de Andréa D'Amato

Quase 23% das pessoas afirmaram ter intenção de viajar até outubro. Destes, 70,7% preferem destinos brasileiros. Aqueles que optaram viajar para o exterior, opção que cresceu do ano passado em comparação a 2016, possuem renda familiar mais alta (acima de R$ 9100) do que quem preferiu destinos brasileiros (na faixa de R$ 2100).  

Desafios

Andréa, que já se viu em viagens nas quais precisou escrever e fotografar sem ganhar pelas duas funções, sempre preferiu viajar com um repórter e dividir as tarefas para narrar uma boa história. Afinal, para fotografar precisa levar quase um arsenal: de mochila grande para colocar bateria à de rodinha para colocar fios, cabos, computadores. Modesta, tem uma longa história colocando a mão na massa e o pé na estrada. Já viajou durante longos períodos com pessoas que conheceu apenas no aeroporto, por isso, a mente de um jornalista de viagem precisa ser aberta e preparada para ganhar pouco. Além do mais, no caso dela, “a câmera às vezes é meio agressiva”.

Ilha do Sol. Foto de Andréa D'Amato

Fotografias: Andréa D'Amato