5 Filmes Independentes Que Você Pode Ter Deixado Escapar

É considerado um filme independente aquele que é produzido com pouca ou mesmo nenhuma interferência de um grande estúdio de cinema, como a Disney, a 21st Century Fox ou a Paramount. Os chamados blockbusters são os antônimos dos filmes independentes, pois são longas de maior popularidade e de grande sucesso financeiro, o que não é tão comum no cinema independente. 

Geralmente feitos com baixos orçamentos, a divulgação desses filmes também tende a ser mais limitada, afinal, as salas de cinema costumam ser ocupadas pelos longas de maior orçamento, cujos lançamentos são geralmente rodeados de muita publicidade e grandes campanhas de marketing. 

Os filmes independentes são antes exibidos em festivais de cinema, como o de Berlim, de Cannes e de Veneza. No Brasil, a lista de festivais é extensa, mas vale destacar o Festbrasília, o mais antigo do país, fundado em 1965.

Hoje, é possível ter acesso à esses filmes em cinemas específicos, como os escassos cinemas de rua - em São Paulo, alguns dos mais famosos são o Cinesala, originalmente fundado em 1962, e o Petra Belas Artes, fundado em 1967. Não só, há plataformas de streaming que disponibilizam diversos títulos que você não pode deixar de assistir.   

  1. 1. Shame (2011) - Direção: Steve McQueen

    Shame é um filme independente lançado em 2011 sob a direção de Steve McQueen, quem dirigiu também 12 Anos de Escravidão, filme vencedor do Oscar de Melhor Filme na edição de 2014 da premiação. De temática forte, Shame foi primeiramente lançado no Reino Unido, onde foi bem recebido pela crítica e pelo público. Em especial, a performance de Michael Fassbender, que interpreta o protagonista, Brandon, rendeu muitos elogios. A fotografia melancólica também merece destaque, uma vez que ajuda fortemente na criação da atmosfera do filme. 

    Sinopse: 

    Brandon (Michael Fassbender) é um cara bem sucedido e mora sozinho em Nova York. Seus problemas de relacionamento, aparentemente, são resolvidos durante a prática do sexo, tendo em vista que é um amante incontrolável. Contudo, sua rotina de viciado em sexo acaba sendo profundamente abalada quando sua irmã Sissy (Carey Mulligan) aparece de surpresa e pretende morar com ele.

    Disponível em: Youtube (Aluguel R$3,90 HD | R$2,90 SD).

  2. 2. As Pequenas Margaridas (1966) - Direção: Věra Chytilová

    O filme independente tcheco, originalmente denominado Sedmikrásky (no inglês, Daisies) foi dirigido pela cineasta tcheca hoje conhecida como a “primeira-dama do cinema tcheco”. O longa foi exibido em diversos festivais ao redor do mundo em sua época de lançamento e hoje em dia se tornou um queridinho “cult”. 

    Sinopse:

    Duas ousadas adolescentes, ambas de nome Marie (Ivana Karbanová e Jitka Cerhová), reconhecem o caos em que se encontra o mundo e decidem colocar em prática uma série de travessuras de apelo destrutivo.

  3. 3. Submarine (2010) - Direção: Richard Ayoade

    Essa comédia dramática (ou seria um drama cheio de alívios cômicos?) foi lançado em 2010 (no Brasil, no ano seguinte) sob a direção de Richard Ayoade, mais conhecido por seus trabalhos dirigindo videoclipes de grandes nomes como Kasabian, Arctic Monkeys e Vampire Weekend. O filme é, na verdade, uma adaptação cinematográfica de um romance de mesmo nome lançado apenas dois anos antes. A trilha sonora do filme merece atenção especial: Alex Turner, vocalista e líder da banda Arctic Monkeys, contribuiu com 5 músicas inéditas para a trilha sonora.

    Sinopse: 

    Oliver Tate (Craig Roberts) é um menino de 15 anos que tem dois objetivos na vida: perder a virgindade antes do seu aniversário com a sua nova namorada Jordana (Yasmin Paige), e tentar afastar a mãe do ex-namorado que se mudou para a casa ao lado. Além disso, para salvar o casamento de seus pais, Oliver tem a ideia de controlar a vida sexual deles e de forjar cartas românticas sugestivas de sua mãe para seu pai.

  4. 4. Zabriskie Point (1970) - Direção: Michelangelo Antonioni

    Lançado em 1970 e dirigido e roteirizado pelo cineasta italiano Michelangelo Antonioni junto com Franco Rossetti, também italiano, Zabriskie Point é um filme que retrata a contracultura estadunidense da época. No ano anterior ao seu lançamento, os Estados Unidos presenciou um forte movimento contrário à Guerra do Vietnã, a expansão do movimento hippie, o “Summer of Love”, em São Francisco, e o histórico festival de música Woodstock, no estado de Nova Iorque. Além disso, a trilha sonora do filme foi praticamente produzida por completa por uma das maiores banda de rock de todos os tempos, o Pink Floyd. Para ouvir as músicas que compuseram a lista, acesse essa playlist no Spotify.

    Sinopse:

    A pulsante contracultura norte-americana da década de 60 a partir do relacionamento de Daria (Daria Halprin) e Mark (Mark Frechette), que se conhecem no deserto. Ela é uma estudante de antropologia, ele abandonou a sala de aula e é procurado pela polícia suspeito de ter assassinado um policial em um protesto estudantil.

  5. 5. Jovem e Bela (2013) - Direção: François Ozon

    O filme francês lançado em 2013 e dirigido por François Ozon, renomado cineasta, explora, de forma polêmica e controversa, o descobrimento da sexualidade na fase da adolescência. A protagonista, Isabelle, é observada por nós, espectadores, ao longo das quatro estações de seu 17º ano de vida. A trilha sonora é composta por apenas quatro canções, todas cantadas pela estrela francesa Françoise Hardy, cada uma representando uma fase da vida da protagonista. 

    Sinopse: 

    Durante as férias de verão com a família, Isabelle, interpretada pela modelo francesa Marine Vacth, vive sua primeira experiência sexual. Ao voltar para casa, a adolescente divide seu tempo entre a escola e o novo trabalho, como prostituta de luxo. 

    Disponível em: NetflixAmazon PrimeNOW (Aluguel R$6,90) e Youtube (Aluguel R$3,90 HD).

----------------------------------------------------------------------

A matéria acima foi editada por Bruna Sales

Gosta desse tipo de conteúdo? Confira a Her Campus Cásper Líbero!