Her Campus Logo Her Campus Logo
Experiences

Diários: Como E Por Que Cultivar Essa Prática?

The opinions expressed in this article are the writer’s own and do not reflect the views of Her Campus.

“Querido diário…”. Você com certeza já deve ter ouvido essa expressão em algum momento. O registro informal dos acontecimentos cotidianos, ou melhor, o diário pessoal, não serve apenas para guardar memórias de uma determinada época: ele possui diversas funções psicológicas e pode ser usado até como documento histórico.

Mas como começar a escrita pessoal? Primeiramente, é importante decidir o formato ideal – aquele em que é mais fácil se expor. Em seguida, é recomendado escolher um horário no qual você se sinta mais confortável e focado para a atividade. A criação de uma rotina para manter o hábito é indicada, além de definir se os relatos serão detalhados, sucintos ou somente sobre momentos importantes.

Confira esse e outros fatos sobre os diários!

Os benefícios da escrita

A psicanalista Andressa Marsura conta que manter o hábito da escrita pessoalapresenta muitos benefícios para a saúde mental.“A prática é eficiente para uma série de propósitos, desde digerir eventos traumáticos até aliviar o estresse e minimizar os sintomas da depressão e ansiedade”.

Além disso, o diário ajuda na organização pessoal, no autoconhecimento e na análise de questões, uma vez que a dissertação de fatos contribui com o foco e instiga uma atenção mais profunda para os acontecimentos cotidianos.

Em relação aos jovens, Andressa afirma que “para a criança e o adolescente, a prática se torna mais leve, pois ali ele pode se expressar sem o medo do julgamento e represália de algum adulto”. Ela ainda acrescenta que “as emoções se tornam mais genuínas e claras do que possa ser feita por via de oralidade”.

Criatividade manual ou praticidade digital?

Uma forma mais criativa do diário tradicional é o scrapbook. Traduzido diretamente para “livro de recorte”, ele tem como foco a parte visual, contando com adesivos, desenhos e até mesmo versos e poemas.

Mas, apesar dos manuscritos serem mais conhecidos, os diários digitais também são populares pela sua praticidade e fácil acesso. Atualmente existem até aplicativos para isso, como Daybook, Universal Diary e Five Minute Journal. Eles possuem diferentes ferramentas como anexo de imagens, perguntas de verificação de humor, senhas para acessar as anotações e muitas outras.

Independentemente da escolha, a psicanalista ressalta que tanto diários digitais quanto manuscritos possuem o mesmo efeito, já que é o ato de escrever em si que ajuda no processo terapêutico.

O perigo das redes sociais

Andressa Marsura a escrita pessoal tende a se expandir por conta das mídias sociais, já que muitas delas, como o Twitter, por exemplo, é usado para relatos e desabafos.

Contudo a prática só é eficiente se usadadeforma “correta e sigilosa”, já que, se expressada para um grande número de pessoas,“o quadro da pessoa que ali está escrevendo pode piorar, com julgamentos e opiniões sem relevância”.

As redes sociais, porém, ainda não podem ser consideradas um tipo de diário, “pois nelas tendemos a esconder nossas fraquezas e emoções autênticas”, finaliza a psicanalista.

—————

O texto acima foi editado por Diovanna Moraes.

Larissa Gabriel

Casper Libero '25

Conhecendo a verdade em todos os universos e se perdendo em vizinhanças.
Similar Reads👯‍♀️